sexta-feira, 27 de março de 2009

Dizem que sou um pouco

dizem que sou um pouco
-além de louco …- poeta
dos que procuram a rima
pra facilmente engrenar
um versejo sobre a vida
mas cuidando
da auto-estima
penso que não é bem assim
procuro bem simplesmente
fazer fluir pró papel
os sentimentos da alma
que ora fervendo, ora calma
vai traçando o meu caminho
procuro sempre sozinho
expressar de forma humilde
para que o povo entenda
-ele que tem sempre razão-
e que em tudo que nos rodeia
é sempre queiram ou não
o cerne da questão….
bem sei que o intelectual
sem pragmatismo
nem escolha
prefere o verso que, em prosa,
lhe vai massajando o ego
eu cá estou como o poeta
com os pobres desta terra
quero compartir a sorte
antes do ocaso chegar.
é que eu fui sempre assim
e ainda que a grande turba
de falta de horizontes
me possa enfim, acusar
prefiro o calmo remanso
à imensidão do mar.

2 comentários:

Campomaior disse...

Temos mais um (a) porta em Campo Maior.
Gostei do anterior e deste também, espero que continue para bem da nossa cultura, já não se vêm muitos poetas por cá.
Porque será que este blogue não tem feed? para quem visita o Campomaiornainternet, não sabe quando actualiza e as visitas só aparecem quando alguém comenta noutro blogue.
Não se poderá dar um jeito?
bom fim de semana

Campomaior disse...

não é "porta" é "poeta" peço desculpa, por não ter reparado.